Educação Ambiental de crianças e adolescentes

Estações Bioplanet nas Escolas

O modelo de coleta de óleos e gorduras residuais (OGR) desenvolvido e aperfeiçoado pelo projeto Bioplanet baseia-se na coleta residencial (residências horizontais), no envolvimento da comunidade escolar, em especial de estudantes. No pagamento ou incentivo pelo óleo residual coletado; pelo descarte adequado de resíduos do tratamento dos OGR's; da disponibilização de recipientes para coleta; da disponibilização de locais para entrega dos OGR's; de palestras/atividades em Escolas sobre os OGR's; da conscientização/informação à população; da participação ativa de catadores e suas associações/cooperativas; parceria com universidades e órgãos de governo e departamentos/companhias de saneamento.

O trabalho nas Escolas é focado na Educação Ambiental de crianças e adolescentes, considerando que a infância é o período em que as crianças formam hábitos, conceitos e ideais que são levados para a vida adulta. A sustentabilidade é um assunto que precisa ser trabalhado nas escolas de forma intensa. A importância está em fazer com que os pequenos formem hábitos de preservação ambiental e economia de recursos naturais desde os primeiros anos de vida, para que os problemas ambientais sejam reduzidos nas futuras gerações.

Tratar do assunto de sustentabilidade nas escolas significa ir além de explicar a importância ambiental, os estudantes precisam sentir a importância da preservação ambiental no dia a dia, e entender na prática que um mundo sustentável necessita de atitudes positivas de cada um, como nos revela a Irene Ruberti. As ações concretas, como as visitas das crianças e adolescentes ao Arranjo Produtivo Local do Bioplanet onde elas têm contato o processo de transformação dos óleos residuais - altamente poluentes - no Biodiesel, é um projeto pedagógico de educação ambiental, que contribui para a Educação e o papel da Escola.

Um estudo do grupo inglês Co-Operative mostrou que 82% das crianças de 7 a 14 anos acham mais importante aprender sobre questões ambientais do que outras áreas do conhecimento e, das crianças entrevistadas, 64% afirmaram ter influência sobre os pais com relação ao meio ambiente. Em outra etapa, feita com pais de crianças na mesma faixa etária, a pesquisa confirmou que elas mudam os hábitos familiares: seis em cada dez pais afirmaram que seus filhos os influenciam a ser mais "ecológicos".

Operacionalmente a ação inicia no gestor público e nas diretrizes para a educação, integrando as ações do projeto ás diretrizes de Governo. Uma estrutura é constituída na Escola para dar suporte ao trabalho, considerando um espaço adequado para armazenamento dos OGR's, a logística de coleta e o retorno econômico proveniente desta operação. A Escola, a Associação de Pais e Mestres ou os próprios estudantes, através do Grêmio Estudantil administram, dentro das suas necessidades e expectativas, os recursos provenientes da entrega dos OGR's.

Um cadastro da Escola e dos responsáveis pela operação é realizado, bem como o monitoramento e controle de todo o processo pela Cooperativa que, entre outras ações articuladas com parceiros, é a responsável pela logistica de coleta na Comunidade Escolar, tendo a Escola como um centro de gravidade comunitário, onde giram os relacionamentos com a família, os pequenos estabelecimentos comerciais e a comunidade.