Sustentabilidade, Legado e Promoção do Basil

 

 

Bioplanet

Um Conceito de Sustentabilidade 

O projeto Bioplanet é uma iniciativa de sustentabilidade, legado e promoção do Brasil que consiste na constituição de Arranjos Produtivos Locais (APL’s) para a promoção, produção e uso de BIODIESEL exclusivamente a partir de óleos e gorduras residuais (OGR) através da inclusão produtiva de catadores de materiais recicláveis e a educação ambiental de crianças e adolescentes.

O Projeto foi desenvolvido pela Biotechnos, conta com dezenas de parceiros nacionalmente e foi homologado pela RESOLUÇÃO GECOPA DOU Nº 12 de 19 de julho de 2012 da Chamada Pública para Seleção e Chancela de projetos de promoção do Brasil pela realização da Copa do Mundo FIFA 2014.

Estudos do CONAMA (Conselho Nacional do Meio Ambiente) indicam que um litro de óleos residuais de cozinha contaminam 12 mil litros d'água. E, segundo a Casa Civil da Presidência da República anualmente são descartados aproximadamente 1,5 Bilhões de litros de óleos residuais no meio ambiente por 50 milhões de residências e pequenos estabelecimentos do ramo da alimentação.

Um pré-sal está indo por ralo abaixo. O Projeto Bioplanet consiste em reaproveitar mais e melhor este volume imenso de óleos residuais que, contaminam especialmente mananciais de água, para o Biodiesel. Uma contribuição importante para a matriz energética nacional, a mais limpa e diversificada do mundo.

Se o volume de óleo de fritura descartado no meio ambiente no Brasil fosse transformado integralmente em Biodiesel, poderíamos abastecer toda a frota de veículos a óleo diesel mineral com 02% de biodiesel (B2).

A inclusão produtiva de catadores é um fator importante na execução do projeto que conta com a participação na gestão e resultados econômicos do projeto. A educação ambiental é um referencial no processo. Um estudo do grupo inglês Co-Operative mostrou que 82% das crianças de 7 a 14 anos acham mais importante aprender sobre questões ambientais do que outras áreas do conhecimento e, das crianças entrevistadas, 64% afirmaram ter influência sobre os pais com relação ao meio ambiente. Em outra etapa, feita com pais de crianças na mesma faixa etária, a pesquisa confirmou que elas mudam os hábitos familiares: seis em cada dez pais afirmaram que seus filhos os influenciam a ser mais "ecológicos".

O modelo de coleta de óleos e gorduras residuais desenvolvido e aperfeiçoado pelo projeto Bioplanet baseia-se na coleta residencial (residências horizontais), no envolvimento da comunidade escolar, em especial de estudantes. No pagamento ou incentivo pelo óleo residual coletado; pelo descarte adequado de resíduos do tratamento dos OGR's; da disponibilização de recipientes para coleta; da disponibilização de locais para entrega dos OGR's; de palestras/atividades em Escolas sobre os OGR's; da conscientização/informação à população; da participação ativa de catadores e suas associações/cooperativas; parceria com universidades e órgãos de governo e departamentos/companhias de saneamento.

 

Arranjos Produtivos Locais

 

Produção de Biodiesel a partir de óleos e gorduras residuais (OGR)

 

Uma iniciativa de sustentabilidade, LEGADO e promoção do Brasil para a Copa do Mundo da Fifa de 2014 com a constituição de um Arranjo Produtivo Local na cadeia de valor do Biodiesel a partir de óleos e gorduras residuais (OGR) com a inclusão produtiva de catadores de materiais recicláveis e a educação ambiental de crianças e adolescentes. Uma iniciativa sócio ambiental e econômica baseada no desenvolvimento sustentável, que propõe a implementação de tecnologias brasileiras relacionadas ao saneamento, mobilidade urbana e à matriz energética nacional, a mais limpa e diversificada do mundo, para a promoção dos biocombustíveis, contribuir para a execução da política nacional de resíduos sólidos a partir da reciclagem, redução das emissões de gases poluentes - de efeito estufa - e preservação da água, das redes de saneamento, dos mananciais e reservas ambientais. Destaca-se a inserção produtiva dos catadores, o fortalecimento de cooperativa e a geração de renda, na promoção da educação ambiental, conscientização social e mobilização nacional. Corrobora com as características habituais brasileiras, em particular a capacidade de inovação, o desenvolvimento com justiça social e em especial o esforço da sustentabilidade.

É a afirmação do Brasil perante o mundo na promoção de políticas públicas que servirão de exemplo, bem como um legado para o país e o mundo no enfrentamento de grave crise ambiental caracterizada particularmente pelo descarte inadequado de aproximadamente 1,5 bilhões de litros de óleo no meio ambiente por 50 milhões de residências e pequenos estabelecimentos comerciais ao ano no país. A preocupação com o desenvolvimento sustentável é o foco principal da civilização contemporânea. A sustentabilidade deve ser uma práxis inteligente e isso quer dizer, os saberes humanos devem atuar de forma coletiva não só para achar soluções pontuais aos inúmeros problemas sociais, econômicos e ambientais, mas, buscar a transversalidade nas soluções a serem adotadas. É esse o foco do Projeto Bioplanet, que propõe não só contribuir com a mitigação dos impactos negativos gerados pelos OGR’s – óleos, gorduras vegetais residuais, através da sua reciclagem como também, atuar na transversalidade com a inclusão social, ampliar a qualidade de vida da coletividade e contribuir para a geração de trabalho e renda pela metodologia da Economia Solidária. Para tanto, o Bioplanet, dispõe de arranjos tecnológicos sustentáveis capazes de reciclar os óleos e gorduras residuais, processando-os em Biodiesel, pelo método de transesterificação, através de uma pequena planta de Usina produtora de Biodiesel.

O processo atende as normas da Agência Nacional do Petróleo (ANP) e há um alto padrão de qualidade relacionado à umidade, acidez e impurezas. Não são utilizados ácidos para a neutralização do Biodiesel bruto e nem água de lavagem. A purificação é realizada em colunas contendo polímeros específicos que captam impurezas. O processo não gera efluente. A implantação do projeto Bioplanet envolve as comunidades através das Associações de Bairro, Instituições Religiosas e/ou outras instituições públicas, privadas e do terceiro setor com ações perenes que se destinam a:
1.Constituição de Arranjo Produtivo Local na cadeia de valor do Biodiesel a partir de óleos e gorduras residuais;
2.Produzir inicialmente 50 (cinqüenta) mil litros de Biodiesel mensais exclusivamente, a partir do recolhimento e processamento de óleos e gorduras residuais, óleo de cozinha usado.
3.Promover a preservação do meio ambiente considerando que 01 (um) litro de óleo residual polui 25 mil litros de água segundo dados da sabesp e pode chegar a contaminar 01 (um) milhão de litros d’água - esse volume equivale ao consumo de uma pessoa em 14 anos.
4.Contribuir com a preservação de milhões de litros d’água da contaminação pelo descarte inadequado do óleo de cozinha usado.
5.Reduzir significativamente a poluição atmosférica a partir dos geradores, máquinas e equipamentos e veículos que utilizarão o biocombustível.
6.Envolver crianças e adolescentes das escolas municipais e estaduais na educação e conscientização ambiental.
7.Promover a participação de restaurantes, bares, hotéis dentre outros estabelecimentos de alimentação na coleta e descarte adequado do óleo de cozinha usado para a produção do biodiesel.
8.Integrar os movimentos sociais já existentes para a criação de comunidades solidárias de coleta de óleos vegetais saturados em cozimento de alimentos, para o desenvolvimento de renda e estímulo social a partir da produção de energia oriunda do processamento dos óleos coletados.
9.Promover o Brasil como referência tecnológica de geração de energia a partir de matriz energética alternativa, difundindo a sua preocupação e ação em função da proteção ao meio ambiente, a ampliação da consciência ambiental e a geração de renda e inclusão social.
10.Mostrar ao mundo o Biodiesel como fonte alternativa de energia, reforçando a visão de seus benefícios e a liderança do Brasil nesse segmento.
11.Proteção de mananciais d’água;
12.Mitigação dos OGR’s para a prevenção e preservação ambiental;
13.Geração de trabalho e renda, para o extrato social de baixa renda, por meio da Economia Solidária e inclusão social;
14.Redução de emissões de Gases Poluentes e Carbono Equivalente (CO2 e COE);
15.Constituição de arranjo tecnológico para produção de sabão ecológico biodegradável;
16.Ampliação do bem estar das comunidades;
17.Melhoria da qualidade de vida, através da instrumentalização de cooperativas, associações de bairros e outras instituições.