BNDES financia em até 48X as tecnologias da Biotechnos

Tecnologia com os menores juros do mercado e em ATÉ 48 MESES PARA PAGAR

Os produtos da Biotechnos - tecnologias para Arranjos Produtivos Locais (APL) - nas áreas da bioenergia e biodiversidade, estão disponíveis através das linhas de Financiamento do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social, o BNDES.

O Cartão BNDES é o principal instrumento. As vantagens são enormes, entre as quais estão o crédito PRÉ-aprovado; o LIMITE de crédito de até R$ 1 milhão por Cartão BNDES (por banco emissor); o PRAZO de pagamento de até 48 meses, com prestações fixas e iguais e as taxas de juros atrativas.

As micro, pequenas e médias empresas nacionais, que exerçam atividades econômicas apoiadas pelo BNDES e que estejam em dia com impostos e tributos podem dispor destas facilidades.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  

Informações: +55 55 35130831

https://www.cartaobndes.gov.br/cartaobndes/#

https://www.cartaobndes.gov.br/cartaobndes/PaginasCartao/Catalogo.asp?CTRL=823098531&acao=DF&Cod=819048

 

APL Biodiesel é destaque na TV Globo

Como Será? mostra Usina de Biodiesel da Biotechnos na série 'O Valor do Lixo'

Matéria apresenta o trabalho comunitário no Morro dos Prazeres, no Rio de Janeiro, que reaproveita óleo de cozinha e evita poluição das águas. O terceiro episódio da Série 'Valor do Lixo' mostra como funciona a coleta e reciclagem dos óleos residuais. O repórter Rogério Coutinho conheceu o projeto Reciclação, coordenado por Zoraide Gomes e projeto Bioplanet, coordenado nacionalmente pela Biotechnos.

O projeto Reciclação tem como objetivo dar um destino correto para os resíduos sólidos, como garrafas PET e latinhas de alumínio. A equipe do projeto vai de porta e em porta buscar o óleo usado, que é acondicionado pelos moradores em recipientes. O material coletado vai para um depósito e é acondicionado em galões de 20 litros. Para conscientizar a população, a equipe também distribui panfletos explicativos.

O projeto Bioplanet é uma iniciativa de sustentabilidade, legado e promoção do Brasil através da constituição de Arranjos Produtivos Locais na cadeia de valor dos óleos e gorduras residuais (OGR) com a inclusão produtiva de catadores de materiais recicláveis e a educação ambiental de crianças e adolescentes.

O repórter Rogério Coutinho também acompanhou o processo de transformação do óleo de cozinha em biodisel, na Usina de Biodiesel da Biotechnos e entrevistou Vinicius Puhl, coordenador do Bioplanet. – O óleo é muito contaminante. Se estamos vivendo um problema grave de falta de água, retirar esse óleo do meio ambiente é muito importante. Se não tiver cooperativa, ponto de coleta, o morador deve ir armazenando e dar o destino correto, procurar a prefeitura municipal da cidade, procurar o supermercado onde compra o óleo comestível e descartar de forma correta – explicou.

A presidente da Biotechnos, Márcia Werle, destaca que a instalação dos APL's Biodiesel gera uma oportunidade para estabelecer as logísticas de coleta e destinação adequada dos óleos residuais. É um instrumento importante da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) e dá sustentabilidade a ações como apresentadas na matéria do programa Como Será?.

Sobre o 'Como Será'?

Como Será?, parceria do Jornalismo e da área de Responsabilidade Social da Globo com a Fundação Roberto Marinho, tem como objetivo compartilhar com o público experiências transformadoras, exemplos de cidadania e colaborar para a construção de um futuro melhor ao tratar de maneira integrada temas como educação, ecologia, mobilização social, trabalho e inovação. É um espaço para apresentar, conhecer e incluir pessoas e ideias, que conta com a interatividade como grande aliada. O programa, que ocupa a faixa das 6h às 8h nas manhãs de sábado na Globo, é reprisado na GloboNews e no Canal Futura, aos domingos, às 06h05 e às 15h, respectivamente.

http://redeglobo.globo.com/como-sera/noticia/2014/12/comunidade-do-rio-reaproveita-oleo-de-cozinha-e-evita-poluicao-das-aguas.html
http://redeglobo.globo.com/como-sera/videos/t/edicoes/v/o-valor-do-lixo/3812757/

Biotechnos conquista Patente Verde do INPI

Produtos, Serviços e Projetos desenvolvidos pela Empresa recebem a Patente Verde

O INPI (Instituto Nacional de Propriedade Industrial) deferiu Patentes Verdes à produtos da Biotechnos Projetos Autossustentáveis. As Patentes Verdes são Patentes que incorporam Tecnologias Verdes.

Propriedade Industrial e Meio Ambiente

O INPI busca maximizar o apoio à invenções que podem ter um impacto nas mudanças climáticas e oferece às empresas inovadoras em tecnologias verdes a chance de obter patente em menor tempo. Desde a sua fundação em 2007 a Biotechnos vem trabalhando para o desenvolvimento de tecnologias inovadoras nas áreas da bioenergia e biodiversidade.

As "tecnologias de processos e produtos" da Biotechnos geram poucos ou nenhum resíduo, são tecnologias que protegem o meio ambiente e utilizam todos os recursos de uma forma mais sustentável. Com expertise na constituição de Arranjos Produtivos Locais (APL's) destacam-se soluções tecnológicas na cadeia de valor da reciclagem de resíduos e produtos, realizando o tratamento de dejetos residuais, transformando em energia limpa.

O programa de Patentes Verdes do INPI busca diminuir o tempo de exame dos pedidos de patente, que normalmente leva entre seis e 10 anos, para apenas dois. Os produtos da Biotechnos apresentam novidade, ato inventivo e aplicação industrial e os pedidos estão de acordo com a legislação vigente, encontrando-se em condições de obter as patentes verdes.

Patentes

A Patente é um título de propriedade sobre uma invenção ou modelo de utilidade, outorgado pelo Estado aos inventores ou autores ou outras pessoas físicas ou jurídicas detentoras de direitos sobre a criação. Em contrapartida, o inventor se obriga a revelar detalhadamente todo o conteúdo técnico da matéria protegida pela patente.

Um dos produtos que passam a contar com a Patente Verde do INPI é a "Mesa filtradora para óleos e gorduras” MU 8903423-6 - BIOTECHNOS PROJETOS AUTOSUSTENTÁVEIS.

Link: https://www.youtube.com/watch?v=wX4tccWsB4Y

Edição da Revista IstoÉ destaca Biotechnos

Empresa conquistou o Premio IstoÉ Empresas + Conscientes na categoria Meio Ambiente

PRÊMIO EMPRESA SUSTENTÁVEL | ISTOÉ Online | 24.Out.14 - 12:00 | Atualizado em 27.Out.14 - 16:49

Ela transforma óleo em biocombustível

A gaúcha Biotechnos desenvolve equipamento que converte o produto em energia limpa e demonstra como a tecnologia pode ser aliada da preservação ambiental

A maior parte das pessoas não sabe, mas o óleo de cozinha é um dos principais vilões da natureza. Segundo o Conselho Nacional do Meio Ambiente, um litro residual do produto é suficiente para contaminar 12 mil litros d’água. Todos os anos, 50 milhões de residências e estabelecimentos comerciais descartam inadequadamente, no Brasil, 1,5 bilhão de litros de óleo. Para reduzir esse volume, além de campanhas de conscientização, a tecnologia pode ser uma forte aliada – e é nesse aspecto que a gaúcha Biotechnos se destaca. Por meio de pequenas usinas, também chamadas de arranjos locais, a empresa oferece a cooperativas, empresários, agricultores e fazendeiros um sistema capaz de transformar óleo residual em biocombustível. “Percebi que o mercado precisava de um produto que trouxesse benefícios ambientais”, diz a presidente Márcia Werle.

Márcia fundou a Biotechnos em 2007, depois de participar de uma feira de tecnologia em Hannover, na Alemanha. “Começamos conscientizando comunidades e escolas sobre como armazenar corretamente o óleo de cozinha”, diz a empresária. “Em seguida, desenvolvemos máquinas para ajudar na coleta e passamos a vender as pequenas usinas para cidades vizinhas.” Hoje, são 19 plantas de tecnologia que transformam óleo e gordura em biodiesel, e a previsão é que mais 18 sejam negociadas no ano que vem. Em breve, os equipamentos serão exportados para Argentina, Chile e Nova Zelândia. Apesar de fundamental, a tecnologia não é a única ferramenta necessária para desencadear uma transformação. Com a assessoria da Biotechnos, foram realizadas parcerias com escolas para que as crianças conhecessem todo o processo de produção do biodiesel.

A inovação tecnológica trouxe resultados financeiros consistentes. A Biotechnos fatura R$ 2,7 milhões e cresce a uma taxa média de 30% ao ano – uma enormidade em qualquer setor da economia. Segundo a empresa, isso se deve ao aumento do interesse do mercado na produção da energia limpa. “As companhias passaram a reconhecer a necessidade de aliar a questão econômica à ambiental”, diz Márcia. A inovação é contínua. Atualmente, a Biotechnos se dedica ao desenvolvimento de máquinas para extrair o babaçu e transformá-lo em energia limpa. “Estou contribuindo para que minhas filhas e todos os jovens tenham um futuro melhor”, diz Márcia.

Link da Matéria:

http://www.istoe.com.br/reportagens/389046_ELA+TRANSFORMA+OLEO+EM+BIOCOMBUSTIVEL

Biotechnos conquista o Prêmio IstoÉ Empresas + Conscientes

Empresa ficou em 1° lugar na categoria Meio Ambiente Pequenas Empresas

O Prêmio IstoÉ Empresas + Conscientes, promovido pela Editora Três, foi organizado pela Report Sustentabilidade utilizando a metodologia do B Lab - Organização norte-americana que certifica empresas com práticas alinhadas ao lema: "Não ser apenas as melhores empresas do mundo, mas as melhores para o mundo” -.

Segundo a Presidente da Biotechnos, Márcia Werle, o Prêmio IstoÉ é o reconhecimento de um trabalho que impulsiona um novo modelo de desenvolvimento sustentável. "Todos os dias o nosso esforço e trabalho é para o desenvolvimento de tecnologias que contribuem para a proteção do meio ambiente. Sabemos que apenas começamos, mas temos certeza de que estamos no caminho certo".

A presidente da Biotechnos ressaltou os parceiros que fazem parte da história da organização. "É muito importante, neste momento, agradecer especialmente aos colaboradores diretos da Biotechnos e, todas as organizações que contribuíram ao longo da nossa história. Agradecer a Editora Três por este reconhecimento nacional que nos motiva e fortalece nos desafios do futuro", conclui.

Mais de 150 Empresas de pequeno, médio e grande porte – classificadas de acordo com os critérios do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) - de todas as áreas de atividade participaram.

A avaliação foi realizada de acordo com os seguintes pilares: governança; modelo de negócios; relações com os funcionários; relações com a comunidade e meio ambiente. Ao todo, 13 empresas foram premiadas. A pontuação inicial obtida pelas empresas com o preenchimento de questionários foi analisada pelo Conselho Consultivo do Prêmio, especialistas com experiência nos temas e nesse tipo de avaliação. Essa etapa levou em conta a média histórica global das mais de 1 mil empresas que já responderam ao questionário. As Empresas finalistas passaram ainda por um Call de Revisão, um contato com a equipe especializada do B Lab, que tirou as últimas dúvidas sobre as respostas e realizou o ajuste na pontuação final.

O Conselho Consultivo foi composto por Carlos Alzugaray - Predidente da Editora Três; Carlos José Marques - Diretor Editoria da Editora Três; Luiz Fernando Sá - Diretor da Isto É; Lia Lombardi - Diretora-presidente do CEBDS; Thomas Ecksmidt - Diretor Geral do Instituto Capitalismo Consciente e Álvaro Almeida - Diretor da Report Sustentabilidade.

“Vivemos uma profunda e necessária transformação na forma de se fazer negócios, as empresas que não se adequarem a essas mudanças provavelmente ficarão para trás.”, diz Caco Alzugaray, presidente executivo da Editora Três.

Prêmio IstoÉ Empresas + Conscientes

As crises econômicas, sociais e ambientais têm levado líderes empresariais pioneiros a repensar o propósito de seus empreendimentos e o papel dos negócios no mundo atual. Sempre atenta às novas tendências, a ISTOÉ identificou e reconheceu as Companhias que melhor estão fazendo essa transição para uma nova forma de se fazer negócios no Brasil.

“A ISTOÉ é uma revista que se envolve com o País. Informa, investiga e estimula a reflexão das pessoas para a construção de um Brasil e mundo melhores”, relata Carlos José Marques, diretor Editorial da Editora Três. Para ele a iniciativa vai além da premiação e estabelece um marco deste movimento no Brasil. “Temos como ambição incentivar as empresas a olharem seus negócios de outra maneira”, finaliza.

A cerimônia de premiação, bastante prestiagiada, aconteceu no dia 23 de outubro no espaço Rosa Rosarum, em São Paulo/SP.

Confira as Empresas que conquistaram o Prêmio IstoÉ Empresas + Conscientes 2014:

http://www.istoe.com.br/reportagens/389075_ISTOE+PREMIA+AS+EMPRESAS+MAIS+CONSCIENTES+DO+BRASIL?pathImagens=&path=&actualArea=internalPage